>>

Geminação B.V. Portuenses

Geminação com os Bombeiros Voluntários Portuenses

   Somam várias décadas as fortes ligações institucionais mantidas entre a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Portuenses e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Lisbonenses, as quais ao longo dos anos se foram alargando e estabelecendo um apreciável clima de amizade entre sucessivas gerações de responsáveis por ambas as organizações, extensível aos elementos dos respectivos corpos de bombeiros.

   Curiosamente, nenhum aniversário, cerimónia ou manifestação fúnebre se realizou no Porto ou em Lisboa sem que estivesse representada uma das associações.

   A intimidade é de tal ordem que os distintivos usados nos grandes uniformes e blusões obedecem exactamente à mesma configuração, apenas diferindo o nome da associação.

   Decorria o ano de 1986 quando se realizou o Congresso da Liga dos Bombeiros Portugueses em Cascais. Foi durante esta reunião magna, num almoço em que se encontravam presentes o presidente da Direção e Comandante dos Portuenses, Dr. Gomes da Rocha, acompanhado pelo chefe Blanco Pires, o presidente e comandante dos Lisbonenses, António Mourisca e capitão França de Sousa, respectivamente, que pela primeira vez foi lançada a ideia de formalizar a relação entre as duas associações, através de um protocolo de geminação.

   Depois de ratificado no Porto, em Fevereiro de 1987, a celebração da assinatura do protocolo ocorreu solenemente em Lisboa, no quartel-sede dos Lisbonenses, a 28 de Fevreiro de 1988, na presença das estruturas das instituições outorgantes.

   Pelo seu simbolismo, a data passou a figurar no historial e na vida dos Portuenses e dos Lisbonenses como "Dia da Geminação".

   Nessa data, tanto em Lisboa como no Porto, são hasteadas, solenemente, as bandeiras associativas.

   Nos anos ímpares, as cerimónias festivas ocorrem no Porto, e nos anos pares em Lisboa.

   Desde 1988 que o Norte e o Sul ficaram mais unidos, "EM PROL DO FUTURO COM A MEMÓRIA DO PASSADO", lema na base do qual o referido protocolo se rege e traduz o significado de uma velha e duradoura relação.

 

Área Reservada