>>

Luís Sousa

 

Luís Sousa

Luís Sousa - Bombeiro de 2ª

 

    Hoje trazemos o Aniversariante, Luís Sousa.

    Nome: Luís Miguel Carvalho Venâncio Sousa
    Idade: 41
    Data de admissão no C.B.: Novembro de 1987
    Categoria: Bombeiro de 2ª
    Cursos: TAT, DAE, Desencarceramento. Incêndios Florestais Nível I, Módulo de Brigadas de 1ª Intervenção.
 
    "Não me é nada fácil escrever sobre o Luís Sousa. Talvez por sermos amigos, talvez por nos conhecermos há tantos anos. Tantos, que ainda só havia dois canais de TV e os telemóveis eram uma imagem futurista.
 
    Desde sempre que a imagem do Luís está associada aos Lisbonenses e é também um dos seus elementos mais carismáticos. Sincero nas palavras, o Luís não deixa nada por dizer e os amigos são quase sempre os primeiros a ouvir o que lhe vai na alma. Quando gosta, gosta. Quando não gosta, informa.
 
    Pessoalmente, nutro por ele um enorme carinho, pois foi com ele que fiz inúmeras vezes serviço, (só numa noite foram 18 para ele e 17 para mim, até que ao último já não fui!). Foram muitos os incêndios onde os dois, lado a lado, combatemos. Algumas dessas vezes, quando demos conta, estávamos sozinhos e, à pergunta de “Paulo, estás bem?” a minha resposta afirmativa fazia-o sempre ficar comigo, ali, ao calor, ao escuro e expostos às derrocadas. Sabemos que estes momentos que passámos cimentaram a nossa amizade e confiança, pois, quem é bombeiro, sabe que confiar a nossa segurança no conhecimento e coragem de um colega, é o reforço dos laços que nos unem. Por isso, no fogo e na vida, o Luís é mais que um amigo: é um irmão. 
 
    O Luís faz anos hoje. Faz 41 e não podia deixar de o presentear com esta homenagem que não é só minha mas de todos os que permitem que ela aconteça.
 
    Para ti, Luís, o meu abraço com a amizade de sempre."
 
    Como surgiu a oportunidade de ingressar nos B.V. Lisbonenses?
    Em garoto já gostava de tudo o que se relacionava com Bombeiros. Ver passar as ambulâncias em direcção ao Hospital de São José elevava os meus níveis de adrenalina. Um vizinho, o Eusébio, convidou-me a inscrever-me nos Bombeiros e os dois fomos admitidos na mesma altura. Ele ficou a ser o nº 1034 e eu, o 1035.
 
    Descreva-nos o seu percurso.
    Fui admitido em Novembro de 1987 e participei em duas escolas de recrutas mas só tive a oportunidade de terminar a minha formação inicial em 1992. Em 1990 fui admitido como empregado e em 1999 passei ao posto de 2º classe.
    Entretanto, por dificuldades de conciliação de actividades, profissional e de Bombeiro Voluntário, saí dos Lisbonenses e transferi-me para Paço D´Arcos onde estive alguns anos. No ano 2013 surgiu de novo a possibilidade de ser readmitido nos Lisbonenses, muito graças à nova legislação e ao esforço do Comandante Jorge Fernandes, este passo foi possível.
 
    Desde o seu ingresso, qual foi o seu maior desafio? 
    Os desafios até hoje são muitos. As situações delicadas pelas quais passei são bastantes e é-me difícil eleger uma como o meu maior desafio. Contudo, com a experiência que tenho, a cada toque de sirene, a cada solicitação, encaro isso como o início de um grande desafio, pois nunca sei se não será nessa saída que vai acontecer algo que mude a minha vida ou a de quem vou socorrer.
 
    Quais são os seus interesses e que hobbies pratica?
    Adoro andar de bicicleta. É o meu escape para o stresse do dia-a-dia e é com ela que queimo muitas das minhas energias. Nos Bombeiros também contribuo com este meu hobbie para as equipas de apoio em bicicleta.
    Não posso também deixar de assinalar a importância que tem a minha família. É com eles que gosto de estar quando todas as minhas outras actividades estão concluídas.
 
    Como define os B.V. Lisbonenses?
    Os Lisbonenses são a minha segunda casa e ao mesmo tempo, parte da minha família.
    Nos Lisbonenses, muitas vezes acabo por encontrar a minha primeira casa, por ser a eles que recorro muitas vezes em primeiro lugar.
 
    O que é ser Bombeiro?
    Esta é a pergunta mais difícil! Ser Bombeiro é ter uma dose saudável de insanidade, é ajudar quem precisa sem pretensões, sem interesses. É estar disponível 24 sobre 24 horas. É ter um compromisso para com desconhecidos. Ser Bombeiro é o que sempre quis ser. E eu sou!
 

Área Reservada