>>

Incêndio da Câmara Municipal de Lisboa - 7 de Novembro de 1996

Incêndio da Câmara Municipal de Lisboa - 7 de Novembro de 1996
 
    Há 18 anos, no dia 7 de novembro de 1996, os Paços de Concelho de Lisboa ardiam. Um incêndio destruiu os pisos superiores, ficando afetados os tetos e pinturas do primeiro andar. 
Muitos lisboetas temeram o pior, mas devido à pronta atuação dos bombeiros e dos funcionários da CML, salvaram-se memórias fundamentais da cidade, entre as quais o Foral de Lisboa. Posteriormente o edifício foi reabilitado,num principio de fidelidade à tradição histórica e arquitetónica.
    Os Bombeiros Voluntários Lisbonenses, tiveram no local 34 Bombeiros apoiados pelas seguintes viaturas: 1 PSM (Pronto-Socorro Médio); 1 PSL (Pronto-Socorro Pesado); 1 ATM (Auto-tanque Médio) e 1 ATP (Auto-tanque Pesado)
 
Fonte: Página Oficial da Câmara Municipal de Lisboa e Livro dos 100 anos (1910-2010) B.V. Lisbonenses
 
 
 
 

Incêndio em Habitação - Rua Braamcamp Nº84 (23-12-2011 16:58)

Incêndio em Habitação - Rua Braamcamp Nº84 (23-12-2011 16h58)
 
    Na Sexta-feira dia 23 de Dezembro de 2011, pelas 16h58, foi solicitado a intervenção dos Bombeiros da Cidade de Lisboa num Incêndio na Rua Braancamp Nº 84. Foi um incêndio que eclodiu na casa das máquinas do elevador e propagou-se à generalidade da cobertura do edifício e pisos inferiores, nomeadamente 6º e 5º andares, com maior incidência na tardoz danificando o madeiramento e os sobrados que serve de tecto às referidas fracções bem como o seu recheio. Tratando-se de um edifício de construção antiga todos os pisos inferiores foram inundados pela água utilizada no combate ao incêndio através dos seus sobrados e paredes de tabique. Inicialmente houve dificuldade no estabelecimento dos meios de acção em virtude da inacessibilidade ao material de socorro à tardoz. Os edifícios contíguos nomeadamente com o nº 82 e nº 88 foram evacuados num total de 37 pessoas, devido às condições atrás descritas. Houve a necessidade de proceder ao arrombamento da porta do 5º andar esquerdo do nº 88 para a montagem de uma agulheta de 50mm directa ao incêndio pela sua cobertura na zona na tardoz. O incêndio foi extinto pelo Regimento Sapadores Bombeiros de Lisboa, os B. V. Lisbonenses com o VUCI 04, VTTU 01, VTPT 01, VCOT 01 e ABSC 04 e os B. V. da Ajuda com um VTTU 01 num total de 17 homens, com o emprego de 10 agulhetas. Estas agulhetas foram montadas em diversos pontos da fachada principal, por veículos escadas, pelo interior do edifício e pela cobertura do edifício contíguo com o nº 88. As viaturas de combate foram abastecidas por marcos de água existentes na artéria. Os veículos escadas arvoraram à fachada principal no ataque directo ao incêndio e protecção ás coberturas dos edifícios contíguos. Durante o ataque ao incêndio o Bombeiro de 2ª. dos Voluntários Lisbonenses, André Saraiva caiu tendo ficado com escoriações numa perna e foi conduzido ao hospital de São José pelo INEM. O bombeiro sapador nº 719 foi atingido pela queda de telhas na zona da cabeça e ombros o mesmo não necessitou de tratamento hospitalar. Todo o pessoal que compareceu no local de sinistro, consciente das suas obrigações, cumpriu com acerto as ordens dadas, o que contribuiu para a montagem rápida do material de ataque e debelação do sinistro. Compareceu no local o Exmo. Sr. Vereador Manuel de Brito.
 
 
 

Área Reservada